Terça, 18 Dezembro 2018

Hino do Município

HORÁRIO DE EXPEDIENTE


NO PERÍODO DE

04 DE NOVEMBRO DE 2018

A

03 DE MARÇO DE 2019



HORÁRIO DE ATENDIMENTO

DAS 13H ÀS 19H 


Telefone: (51) 3664-0011

Portal da Transparência

Portal do Servidor

Portal do Servidor

HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO
DO POSTO DE SAÚDE

MANHÃ: 8h às 12h
TARDE: 13h 30min às 17h 30min
TELEFONE POSTO: (51) 3664 - 0247

FONE PLANTÃO:
NOITES / FERIADOS / FINS DE SEMANA
(51) 99955 - 6662

WhatsApp:
Secretaria da Saúde: (51) 99955-6662
ESF Guilherme Cleo Biasi: (51) 99964 - 0247

Informações / Reclamações:
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.
TELEFONES: (51) 3664 0010

 

TELEFONES ÚTEIS

 

(51) 3664 - 0011

Prefeitura Municipal

(51) 3664 - 0121
Banrisul

193 
Bombeiros

(51) 8033 - 8791 [ Vivo ]
(51) 8953 - 6264 [ Claro ]
Brigada Militar
Dom Pedro de Alcântara

(51) 3667 - 1377
Brigada Militar - Três Cachoeiras

(51) 3664 - 0001 
Câmara Municipal

(51) 9933 - 6289 
Companhia de Água e Esgoto

(51) 9935 - 0816 
Conselho Tutelar

(51) 3664 - 0385 
Correios

(51) 3664 - 1100 
Hospital de Pronto Socorro - HPS

(51) 3664 - 0126 
Polícia/Delegacia

(51) 3664 - 0258 
Rodoviária

Administração 2017 a 2020

O prefeito de Dom Pedro de Alcântara, Dirceu Pinho Machado - acompanhado do seu vice Silveneo Hahn e do secretário municipal de Obras Vagner Reis - participou de um encontro com o engenheiro do Daer (Departamento Autônomo de Estradas e Rodagem) e especialista rodoviário, Fernando Dieckmann Medeiros. A reunião ocorreu no último dia 21 de agosto em Porto Alegre, e foi motivada pela situação da BRS-9110, Avenida Guilherme Cléo Biasi, que é via de acesso principal ao município de Dom Pedro de Alcântara. No encontro, foi debatida a possibilidade da municipalização do acesso - que hoje é gerido pelo órgão estadual de trânsito rodoviário.

 

Nessa reunião com o engenheiro do Daer, foi dito pelo representante da entidade que a municipalização do acesso principal de Dom Pedro de Alcântara é viável, desde que sigam-se os tramites legais para tal. Esses trâmites iniciariam com uma lei municipal a ser aprovada pela Câmara dos Vereadores local, bem como fotos do trecho a ser municipalizado e outras informações que o Daer julgue necessário (a serem encaminhada para a Diretoria de Gestão e Projetos da entidade). Esta seria a primeira etapa do processo. Num segundo momento, o projeto de municipalização terá ainda de passar pela Assembleia Legislativa do Estado do RS, onde o assunto será debatido entre os deputados estaduais, para então - caso aprovado - a questão tornar-se lei. Só a partir disso a Avenida Guilherme Cleo Biasi (BRS-9110) iria poder, finalmente, ser municipalizada. O prefeito Dirceu, inclusive, já conversou sobre a questão com o presidente da Assembleia Legislativa do Estado, Marlon Santos, onde o mesmo acenou positivamente para auxiliar Dom Pedro de Alcântara nesta questão.

"Na condição de gestor administrativo da cidade, tenho ouvido o clamor da população. Com a municipalização, poderemos gerir com mais eficácia as questões da via. Uma outra vantagens seria uma possível segurança jurídica na área já consolidada no entorno do acesso à Dom Pedro de Alcântara, pois os proprietários poderiam tratar desses assuntos direto com o município. O fato é que trata-se de um assunto que deve ser bem debatido, inclusive durante o processo de consolidação do Plano Diretor do município", indicou Dirceu Pinho Machado.

Outras reuniões deverão ser realizadas para debater a municipalização do acesso de Dom Pedro de Alcântara junto ao Daer, e o assunto também deverá entrar em discussão com a comunidade através de audiências públicas. Mas enquanto o assunto é debatido, já foi encaminhado um termo de parceria com o Daer para que o município possa utilizar equipamentos públicos e realizar melhorias - como a instalação de parada de ônibus, por exemplo -  na Avenida Guilherme Cléo Biasi (BRS-9110).

Po

r Fausto Júnior

______________

 

Aconteceu na Câmara dos Vereadores de Torres, na última terça-feira, dia 28 de agosto, a audiência pública obrigatória que a Câmara tem de realizar antes de debater e votar a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) - relativa ao Orçamento do ano de 2019. Geralmente a casa legislativa recebe quase nenhuma pessoa fora do sistema público nestas audiências obrigatórias. Mas desta vez, uma razoável presença foi constatada, mesmo quando muitos vereadores não compareceram - atitude que foi reclamada publicamente no encontro democrático.

 

Bairro São Francisco mantém participação com demandas locais e gerais

 

O Presidente da Associação do Bairro São Francisco, Pedro Ramon, reclamou da falta de muitos vereadores na audiência Pública. Para ele, o momento deveria ter presença total dos edis, já que a matéria trata da única forma dos munícipes utilizarem a força do poder legislativo para suas buscas locais. A seguir listou obras e reformas para o bairro, lamentando que elas fossem às mesmas demandadas no ano anterior, mas que não foram realizadas (nem emendadas).

As demandas do Presidente da Associação do Bairro São Francisco são uma Rotatória para o cruzamento da Rua Caxias do Sul com Alfieiro Zanardi; a revitalização da Praça da Praia da Cal com colocação de equipamentos para crianças (a única praça que é oferecida para o bairro - mesmo sendo na beira do mar); Alguns projetos de elevação de pontos de vias para evitar alagamentos (ele listou os locais); Calçamentos de parte de ruas, colocação de quebra-molas em ruas específicas do bairro para proteger pedestres de velocidade dos carros; recapeamento do asfalto da Rua Caxias do Sul e até a revitalização do Calçadão da Praia Da Cal (parte do bairro e equipamento turístico), como forma de solicitar demandas para turistas ao invés de somente demandas para o bairro. Pediu, afinal, que a prefeitura cobrasse a celeridade da colocação da rede de esgoto pela Corsan na região, alertando que existe um contrato de prestação de serviço entre as duas partes, mas que a responsabilidade da construção de redes de esgoto é da prefeitura.

 

“Néquinho” reclama que Vila São João estaria esquecida

 

O ex-presidente da Associação da Vila São João, carinhosamente conhecido como Néquinho, reclamou que ultimamente o bairro só tem recebido serviços de capina e pintura de cordão de calçadas. Ironizou em público a sua sensação de que a municipalidade de Torres espera que “a Vila seja anexada por município de Santa Catarina”.

Ele repetiu as demandas feitas por ele mesmo, durante a mesma audiência do ano de 2017, quando pediu (e nada foi feito - conforme ele) obras DE DRENAGEM na baixada da Rua Capitão Babuíno; Revitalização da parte de baixo do viaduto da BR 101 - inclusive reclamando de forma veemente que nos finais de semana o lugar é ocupado para estacionamento de caminhoneiros, o que impede o fluxo e o estacionamento de veículos particulares no local.

 

 

 

 

Joomla Template Developer
Joomla Template Developer

Custom Joomla Templates
Custom Joomla Extensions

Instant WordPress Themes
Instant WordPress Themes